Notícias

 
Prof. Lauri Emilio Wirth participa do Projeto Internacional "Radicalizando a Reforma" Projeto Internacional "Radicalizando a Reforma" Por PPGCR - Universidade Metodista 13/04/2016 - Atualizado em 14/04/2016 09h24

Prof. Lauri Emilio Wirth participa do Projeto Internacional Prof. Lauri Emilio Wirth
A+ a-

Em 2017, haverá o quinto centenário da Reforma, 500 anos depois de 95 teses de Martinho Lutero em Wittenberg. Tendo em vista as atuais crises, apenas comemorar este evento não seria suficiente. Portanto um grupo interdisciplinar de estudiosos tem formado uma aliança para usar a ocasião do quinto centenário para levantar questões críticas sobre a contribuição da Reforma para o desenvolvimento da modernidade e estas crises posteriores e, como previsto, re-interpretações e práticas da Reforma que podem contribuir para o enfrentamento das crises de hoje. Isto exige conversão e profunda transformação, crescendo para fora das raízes desse legado, ou seja, "radicalizar"-lo.

Cerca de trinta participantes do projeto se reuniram em Nuremberga / Alemanha, de 19 a 23 de fevereiro de 2012, a fim de elaborar um programa de pesquisa e ação para envolver este desafio entre agora e 2017.

A segunda Conferência Internacional ocorreu 3-07 agosto de 2014 em Halle. 94 Teses foram formuladas. Eles serão publicadas juntamente com 5 volumes de resultados de pesquisas e também na página http://www.radicalizing-reformation.com/index.php/en/. Um versão em língua portuguesa será publicada na Revista Estudos da Religião.

A série de livros pergunta: de qual perspectiva que devemos olhar para a Reforma hoje? Nós escolhemos uma dupla perspectiva: "radicalizar Reforma - provocada pela Bíblia e Crises de hoje". Nosso ponto de partida é a crise geral da vida de hoje. Nós olhamos para esta crise e da Reforma, incluindo o seu impacto sobre a modernidade, a partir da perspectiva da pesquisa bíblica contextual, ou seja, a partir da perspectiva da libertação para a vida em relações justas. De acordo com Lutero, todas as tradições têm de ser julgados com base na Escritura. As seguintes publicações contêm cada uma das 94 Teses que foram destiladas a partir do material dos os 5 volumes.

Volume 1: Libertação para a justiça
Aqui estamos lidando com a peça central da Reforma: justificação - lei - evangelho. Focamos na nova interpretação de Paul - contra uma compreensão individualista, reduzindo justiça e pela libertação de Deus ao Ego ocidental, preparando assim o caminho para o cálculo do capitalismo; contra a identificação da Torá com o "direito de matar" em vez de com a lei do Império Romano; contra a antítese afiada da lei e do evangelho que leva à separação do Novo e Velho Testamento, para o antijudaísmo e anti-semitismo.

Volume 2: Libertação do Mamon
Esse problema se conecta a Bíblia, Reforma e hoje de crise: o dinheiro em perspectiva religiosa, política, económica e mental. No Antigo e no Novo Testamento a regra imperial de dinheiro é entendida como pecado estrutural, tornando todas as pessoas para co-autores. libertação de Deus acontece como a formação de Torah levou a novas comunidades messiânicas, que praticam a solidariedade em vez de individualismo egocêntrico. Isto corresponde a rejeição de Lutero da salvação venal e sua crítica sistêmica do individualismo e do capitalismo primitivo.

Volume 3: Política e Economia da Libertação
Luther sistemicamente critica capitalismo primitivo. Ele está consciente do caráter religioso do capitalismo com base do primeiro mandamento. Seus escritos sobre o comércio e a usura (finanças) apenas marginalmente efectuado mais tarde protestantismo (por exemplo Winstanley no século 17), mas mainline luteranismo não seguir esta linha crítica. Só recentemente o potencial da posição de Lutero para a crítica teológica do neoliberalismo e de uma ética políticos de partidarismo e de reconciliação foram redescobertos.

Volume 4: Libertação de Violência para viver em paz
O termo latino-americano, buen vivir, serve como um marcador para uma cultura nova, de afirmação da vida. Esta abordagem pode nos ajudar a ultrapassar vários desenvolvimentos errados gerados através da uma interpretação política da Bíblia recuperando Reforma, afirmação da materialidade do mundo natural como base para a fé e existência eclesial, e superar o violento, política "identidade religiosa" de Lutero contra os camponeses, anabatistas, muçulmanos e judeus. Este volume exige uma leitura pós-colonial de Luther e uma mudança radical para o engajamento não violento ativa. Os autores defendem uma "nova reforma" na trajetória de Bonhoeffer e Soelle.

Volume 5: Church - Liberado de Resistência e Transformação
A cruz é um sinal de mal, de consolo para todos aqueles torturados e sofrimento, um sinal de esperança, de libertação. Cristo assume as condições sócio-políticas, culturais e económicas daqueles que foram privados de seus direitos. A igreja precisa arriscar sua sustentabilidade por estar com e para os pobres. Considerando que, no pecado estamos desconectados, por meio do Espírito que são re-conectado. O Espírito trabalha livremente nas pessoas e do mundo, portanto, também em outras religiões além do cristianismo. Ao invés de ser focado apenas sobre a pessoa ou indivíduo, resistência e transformação deve ter um foco eclesial mais comum.

Leia mais em: http://goo.gl/GqVzPH

 
voltar

 

últimas notícias da ANPTECRE
 
Receba notícias e artigos do ANPTECRE - Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião Cadastre seu e-mail...
Rua Ministro de Godoy, 969 (4ª andar, Sala 4E-09) | Perdizes - São Paulo / SP
CEP 05015-001 | Trace sua rota...
© 2015 ANPTECRE - Todos os direitos reservados